A nova ordem conjugal

f297f__feng-shui-bedroom-1

Lindo leito conjugal desenhado por Mauro Bertame de acordo com os princípios do Feng Shui

Não sei por que dei a esta crônica o nome acima, sinceramente, pois de “nova” a situação não tem nada: entre tapas e lágrimas (poucos, mas profundos beijos) vem se desenrolando há quase um ano, e já pode receber o epíteto de “definitiva”, embora definitiva mesmo, como sabemos, só a morte seja.

E para mim é tão humilhante (não a morte, independente de como seja, mas a situação em questão) que nem sei se terei forças para confessá-la, francamente. Talvez precisasse de umas tantas “sessões de terapia” com aquele ritmo agoniante, aquela música sempre impressionante e o charmoso terapeuta de Zécarlos Machado que a todos escuta e todas as dores resolve com calma sabedoria, dirigidas por Selton Mello, mas imaginadas e criadas por um diretor israelense como todo mundo sabe. Na versão americana (o projeto original — em hebraico “Betipul” — teve várias, em múltiplos países), mais charmoso ainda, era Gabriel Byrne com seus olhos azuis, nossa, devo mesmo estar carente, vocês já entenderão por quê.

O resto, aqui.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *