Esqueçam 50 tons de cinza

Publicado em 13 de dezembro de 2012 no blog de Sonia Rodrigues

Por Sonia Rodrigues

 

Leiam Sem graus de separação de Noga Sklar e aprendam a conservar a juventude. Sabem aquele dístico que algumas pessoas usam na roupa “Quer emagrecer? Pergunte-me como.”

Sem graus de separação (a 1,99 na Amazon.com.br) é o equivalente. Quer se manter amando, transando, perguntem a Noga como. Corrijo: a Noga e Alan.

Muito legal esse detalhe no livro: a transcrição da transa MSN entre dois adultos, uma homem e uma mulher, sem medo, fazendo sexo tântrico no romantismo próprio de cada um, porque a maneira de amar é diferente, dependendo do gênero, mas a entrega pode ser a mesma.

“Fiquei ansiosa pra falar com ele, que sumiu por mais de quatro dias: só recebi alguns emails, e mesmo assim, bem breves. Fiquei desapontada, depois triste, depois com raiva, até desistir de vez… da raça humana masculina.”

A primeira melhor coisa em Sem graus de separação, depois do erotismo, é claro, é a mistura entre o cotidiano e a cama, num diálogo virtual. Ou, talvez, não. A primeira melhor coisa é a rapidez com que a mulher se entrega e a circunstância do homem não sair correndo. Porque a mulher se apaixonar rápido é comum, mas o homem se entregar completamente é raro, e muito gostoso. Ela registra isso. Ou ela provoca isso.

Homens e mulheres do Brasil, do mundo virtual ou não, aproveitem o bom exemplo de Noga, pratiquem sexo tântrico e, de preferência, transformem em escrita! Vocês não sabem o bem que faz ter registrado, arquivados na máquina, todos os bons momentos que a gente viveu!

Quanto mais não seja — como em “As pontes de Madison” — para escandalizar os filhos um dia.

Como disse a psiquiatra Juliana Garbayo no seu FB hoje: “O sucesso e o amor preferem o corajoso”. Por isso é que a Noga, nadando contra a corrente da dificuldade de divulgar livros no mercado brasileiro, está em primeiro lugar na Amazon.com.br.

Para saber mais leia:

Sem graus de separação (a 1,99 na Amazon.com)

 

 

2 Responses

  1. Muito bom ler tal resenha, principalmente escrita por Sonia, mas Noga merece cada letra, pois se faz dos livros de outrem sucesso, como não faria justamente com o seu de conteúdo confessional?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *