Malha fina

malha finaComo vocês já sabem, embora muita gente pense que sou incapaz de delegar — é verdade, tendo normalmente a pelo menos tentar me virar sozinha, e assim vinha sendo também com a KBR, onde os 120 livros constantes do catálogo têm o meu carimbo pessoal, da edição de texto à divulgação do produto final, mas vamos combinar que não há empresa que cresça concentrada desse jeito numa só mão, vai que morro de repente —, tenho tido ultimamente o conforto de uma assistente para aquelas coisas básicas, como comprar flores no horto quando está chovendo e estou sem tempo, trazer da rua a água mineral que acabou antes do dia do supermercado, tirar fotos em dia de lançamento e, last but not least, me ouvir falando sem parar enquanto descemos para o Rio para uma reunião (ela dirigindo, é claro), coisa que, devo confessar, não é para qualquer mortal aguentar.

Mas, às segundas-feiras, isso tudo muda. E é a Flávia que passa a me comandar, treinando uma função que poderá ser dela quando estiver pronta a encarar (reparem que deixei faltando o sujeito na frase, mas foi de propósito, viu, Flávia, eu quis ser ambígua só para chatear): ela é a toda-poderosa editora dos Singles K, nossos livrinhos digitais de crônicas metidos a título de gente grande que vêm se saindo muito bem na fita, isto é, na Amazon. Pois descendo pro Rio na tarde de sexta dona Flávia determinou:

— Vamos ter um Single com um tema só, o que acha?

O resto, aqui.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *