Noga Sklar a R$0.99: bom ou ruim?

Pois é. Depende. Embora eu tenha inventado o slogan “Escritor valorizado é escritor lido”, isso, em resposta a uma autora da KBR que reclamou sobre a nossa promoção de fim de ano na Amazon, mal tenho conseguido dormir por conta dessa nova campanha que eu mesma inventei, devo confessar, colocando os meus livros a 0.99 pra todo mundo comprar, na semana do meu aniversário.

É que, cá entre nós, tenho as mesmas dúvidas sobre ser ou não ser valorizada se estiver dando os meus livros (quase) de graça. Por um lado, confio na minha pegada, isto é, na minha capacidade de pegar o leitor para sempre uma vez que o ponha para dentro da minha “obra”. Mas, por outro, sinto uma vergonha danada de ficar implorando: “Comprem meus livros, comprem meus livros…”

O negócio é o seguinte: eu me amo como escritora (pelo menos). Minha literatura é rica, cheia de referências, brincadeiras, citações, parece simples, mas é intelectual até debaixo d’água, digo, debaixo de tanto ritmo e rima. Acho que sou meio “desprezada” justamente por isso, porque gosto de rima e rima pratico, não ligo para mais nada nem mais ninguém. Quem não gostar… que experimente e veja se na verdade não se diverte um bocado com o meu jogo de mostra-esconde.

Pronto. Falei. Não vou dizer mais nada, nunca, juro, cross my heart and hope to die. Toc, toc, toc.

4 Responses

  1. TeoFranco says:

    Acredito que o que importa mesmo é o conteúdo. Uma promoção relâmpago, como esta sua, deixa claro que tem o intuito de dar de presente aos leitor uma oportunidade incomum de degustar a sua obra. Sempre que entro numa livraria procuro as “ofertas da semana”, pra mim é um incentivo. Aguardo “pacientemente” as ofertas que atenda a minha lista de títulos cuidadosamente escolhidos, nunca compro pelo preço baixo. Alguns, nem de graça. Parabéns pela iniciativa! A arte também tem que ter estratégia de “negócio”.

    • Noga says:

      Obrigada, Teo, depois me conta se eu te “peguei”. Abraço!

      • TeoFranco says:

        O curioso é que eu estive em Itaipava, no final de novembro, após um saboroso filé de cherne no Parrô do Valentin, estive no Cine Itaipava-Livraria e deixei de adquirir o Luau Americano, não tinha visto em outras livrarias, estava plastificado e sai meio frustrado. Agora, tive a chance de adquirir para ler no meu Kindle paperwhite que vai chegar no final do mês. Resumindo, você já havia me ‘pegado’ em Itaipava rss

  2. TeoFranco says:

    ESTAÇÕES DO METRÔ PAULISTANO COM PROMOÇÃO ‘RADICAL’
    “Pague quanto acha que vale”, diz a placa. A promoção, realizada pela empresa 24X7 desde a segunda quinzena de dezembro, está em metade das vinte máquinas de livros instaladas nas estações Palmeiras-Barra Funda, Brigadeiro, Consolação, Trianon-Masp, Luz e Anhangabaú do metrô (…) em pouco mais de um mês de campanha, foram vendidos 28 mil exemplares de livros (…) Desde 2003, a 24X7 vendeu 1,2 milhão de livros no metrô.
    http://blogs.estadao.com.br/curiocidade/pague-quanto-acha-que-vale-desde-que-seja-2-reais/

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *